sábado, 23 de outubro de 2010

A descoberta


Tudo começou nos idos anos de 1982, quando um bebê verde, enrugado com cara de joelho veio ao mundo... PARA! Não é minha história que quero contar mas sim a do acontecimento mais importante da minha vida, a descoberta do meu bebê. Não, eu não to grávido, dagui! A Kelly, aquela que popula meus sonhos, da cor à minha vida e me encanta com seus predicados (o amor da minha vida pra ser claro) está grávida. E esta descoberta trouxe um mar de alegrias, vovós chorando, gritando pelo meio das ruas, tios bobos ao extremo, bisos caindo sentados, etc... Tudo isso só me faz pensar em uma coisa, somente Deus pra saber de nós. Eu explico.

Alguns anos atrás, uma (pirada) médica me deu a triste notícia de que eu nunca poderia ser pai. Essa notícia veio como uma bomba na minha vida. Eu que sempre quis ser pai, não poderia. Como nunca acreditei em Deus eu só deixei isso pra lá, que se lasque eu não ligava. Nem pensava mais em crianças, olhava e não ligava e acabou sendo algo normal. Aquela vontade deixou de ser algo importante pra mim.

Quando a roda da vida me trouxe um amor maior, essa triste notícia batia no meu peito, tinha uma mulher maravilhosa, que seria uma mãe perfeita e que queria muito também ser mãe e eu não seria capaz. Bom mas como eu disse é Deus quem sabe e ele sabe muito. Como a famigerada "pílula" causava muitas reações adversas na mamãe kelly, resolvemos que ela não tomaria mais, já que eu não podia ter filhos não seria problema.

Pois é dia 19 de outubro o resultado foi positivo. E a alegria que isso trouxe, não só pra mim, pra Kelly, pros  irmãos, pras vovós, pros bisos e todos os amigos. Foi maior do que eu poderia ter imaginado. E agora que estamos com 5 semanas de gestação tanto eu quanto a mamãe Kelly não nos aguentamos de tanta alegria. Os sonhos, as imagens, os planos e tudo que nos é permitido estamos usufruindo. Realizamos o sonho de ter um bebê, um bebê muito esperado, muito sonhado e desde já muito amado por todos. E assim que as semanas forem passando, que as aventuras forem aumentando, nós viremos para contar, rir e chorar, mas sempre de alegria.

Babinhas do bebê pra todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário